November 28, 2014

Diário de uma Competição | Dia 8. 25 de Novembro de 2014

DIA VIII. 25 Novembro 2014

Eu e Paulo Pinto devemos assitir ao curso WACS de utilização da aplicação informatica para tablet e pc, mas antes vamos ver a nossa classificação… Medalha de bronze! Bom para a exigência cada vez maior da organização, curto para a equipa que quer mais. Sabemos que ficámos a 2.59 pontos da prata, ainda doi mais!

Almoçamos em equipa no espaço da Provençal Saimos a correr com a Kathy e vamos visitar os subterraneos da cidade do Luxemburgo, com um espectacular guia que sabe TUDO acerca das tuneis, acompanhando as suas com sons e gestos que transformam este momento cultural num momento divertido.

Enquanto a visita decorre, devemos ir escutar o feed back dos elementos do juri sobre a nossa prova. Razão em 90% das observações feitas, estamos sempre em processo de aprendizagem, temos novas ideias, o “bichinho” da próxima competição está a surgir!

Vamos ao final do dia aplaudir a medalha que o António Bóia enquanto jurí recebe. Bom trabalho António.

Saimos novamente com a Cathy desta vez para uma prova de vinhos Luxemburgueses, especialmente espumantes e brancos de alta qualidade, e em seguida para um jantar muito agradável, onde a descontração e a amizade de uma semana intensa imperam. Muito bom jantar, boa comida luxemburguesa, boa apresentação e acima de tudo um jantar que serve para descontrair do acumular de tensão existente durante os dias anteriores.

A partir de amanhã a contagem decrescente para o regresso começa. Antes disso, carregar carrinha para partir para Portugal, ir almoçar a um restaurante de um amigo português de sucesso no Luxemburgo (tem 2 restaurantes e um hotel!) e ver as mesas que vão estar dispostas, pois as ideias começam aqui.

À noite duas festas! Podem ficar tranquilas as namoradas que tomo conta deles! O meu hábito em relação a filhos, tenho 3, faz com que sinta uma responsabilidade acrescida em relação a estes “filhos por uma semana”. Prometo entregá-los inteirinhos e cheios de saudades vossas!

November 28, 2014

Diário de uma Competição | Dia 7. 24 de Novembro de 2014

DIA VII – 24 de Novembro de 2014

Cá está o 2º dia de competição. Noite bem dormida depois de uma preparação de toda a mise-en-place possivél para a competição quente. Esta competição é de extrema importancia, pois aqui o sabor tem uma pontuação de destaque, i.e, 50 pontos em 100. É aqui que teremos a nossa segunda hipótese de medalha. Carregar carrinhas, tipo peças de Lego, pois tudo o que é necessário é muita coisa, respirar fundo e aproveitar o dia de sol que parece querer ser o presságio de uma boa prova. Chegados à feira, entrada dentro do timing previsto, e aqui começa a aparecer algum stress com a indisposição forte de um dos elementos da equipa, a qual se agravou com o tempo! Plano B a funcionar e aparece outro membro da equipa a assumir o lugar do KO. A seguir e devido a este imprevisto é necessário voltar ao hotel e ir buscar fardas. O que vale é que o trânsito não é muito, que estamos à vontade de tempo e que a Elisabete e a Isabel, nossas amigas portuguesas que trabalham no nosso hotel, nos abrem as portas dos quartos uns dos outros que permite ir buscar as fardas do novo chef na cozinha quente. Entrada na nossa cozinha, a nº 1, controle de mise-en-place, prova de caldos, molhos e visionamento de tudo o que está nos frigorificos e das bancadas.

12h a prova começa! Até às 18h podem estar a produzir e preparar tudo para que a celeridade de envio de pratos seja real. O serviço é confuso e o nosso controler (pessoa da organização com responsabilidade de organizar a entrada e saída dos pratos terminados) é um “cromo” que está rosado como um fiambre de 4 kg.

Tentamos comprar menús portugueses mas sabemos que estão esgotados! Pudera o Luxemburgo tem em 500 000 habitantes 100 000 “tugas”…que orgulho de pessoas!

O serviço começa e depressa os nossos receios em termos de serviço se confirmam, com um erro da minha parte, ele não é um cromo, ele é o “baralho todo”.

Depois da prova ainda tempo para matar saudades de um McDonald’s! Sabe pela vida, ainda por cima com dois portugueses a servir-nos! Estamos em todo o lado.

November 24, 2014

Diário de uma Competição | Dia 6. 23 de Novembro de 2014

DIA VI – 23 Novembro de 2014

Dia de alguma tranquilidade. Pela boa organização trazida de Portugal, o dia é reservado a preparar toda a mise-en-place da prova quente, levando preparados todos os items que o regulamento permite, nomeadamente legumes e frutas lavados (pelados mas não cortados), caldos preparados, peixes amanhados (mas não cortados), e tudo, tudo pesado e dividido em doses necessárias. A competição quente é a prova onde estamos mais no nosso ambiente quotidiano, pois mesmo em termos de sabor está valorizado em 50% da pontuação.

Almoço novamente em família, este com a presença das nossas convidadas, que ao fim de três dias sentem uma ligação especial à equipa e às provas a que estamos a concorrer. Como de um almoço especial se trata, a ementa é especial: robalo ao sal, batata assada e misto de legumes salteados, servido com molho maître hotel…muito bom!

A previsão é ter tudo terminado pelas 20h, de modo a que a noite seja de descanso, pois amanhã a jornada vai ser longa e extremamente importante para as nossas aspirações.

November 24, 2014

Diário de uma Competição | Dia 5. 22 de Novembro de 2014

equipas16 equipas17 equipas18Dia V. 22 de Novembro de 2014

A mesa ficou preparada às 7h, completamente dentro do timing, pois podíamos fazer a montagem até às 8h. Ao nosso lado estava a super equipa da Noruega, que impressiona com o aparato em torno da mesa. Carro estufa, carros frigorificos, baias de protecção com fitas personalizadas da equipa…próprio de uma selecção que se dá ao luxo de alugar um hotel só para a equipa! Exemplo a seguir sem dúvida alguma!

Depois da montagem, chegar ao “nosso” hotel, pequenas arrumações, duche e dormir até às 17h.

Partida para a feira novamente para ter a opinião do júri – sempre um ponto muito importante nestas competições – ouvir críticas construtivas, para que assim possamos fazer alterações nas próximas participações. Que fique registado que nem sempre a opinião do juri é fácil de engolir, mas são eles que determinam as regras e nós temos de as cumprir…parece fácil, certo?

Depois disto…cerimónia de entrega de classificações. Suspense….

A equipa de Portugal obtém BRONZE.

Caras tristes, lembrança das horas dedicadas aos treinos em detrimento de amigos e família. Mas depois dos primeiros segundos, caras alegres e toca a receber a medalha, sempre é o reconhecimento de um bom trabalho. É engraçado perceber que a reacção seguinte é começar a ter ideias para a próxima competição, coisas que surgem depois ver outras mesas, depois da conversa com o júri e de sentir todo este ambiente espectacular.

Regresso ao hotel, arrumações terminadas e hora de jantar em festa, no hotel, mas já como clientes e, obviamente, com as nossas convidadas. Muito bom ambiente, de festa, animada por uma outra festa que decorre na sala ao lado, onde pontua a secularidade dos clientes e um espectacular Karaoke feito com um realejo que parece ter saído de filme do início do século XX, muito bom.

Chi-chi e cama, pois amanhã é tempo de começar a preparar o menu quente.

November 24, 2014

Diário de uma Competição | Dia 4. 21 de Novembro de 2014

Equipas10 equipas11 equipas12 equipas13 equipas14 equipas15

DIA IV – 21 de Novembro

Hoje é o dia de vários acontecimentos! Curso de revalidação de juris para os chefs António Bóia, Paulo Pinto e Carlos Madeira e abertura oficial da EXPOGAST 2014.

A equipa continua na preparação de todas as tarefas do menú frio. Cada minuto que passa parece cada vez mais importante. Tudo está a correr de um modo muito calmo, demasiado calmo, direi eu, depois de tantas experiências em competições anteriores. Importante cumprir o plano de trabalho pré estabelecido, manter a calma e a organização do espaço de trabalho e da mise-en-place, pois cada detalhe é importante.

A comitiva portuguesa ficou hoje maior com a chegada da nossa amiga Isabel Caeiro da Makro, importante patrocinador das equipas portuguesas. É muito bom para nós que esteja connosco, pois deste modo poderá vivenciar a experiência ao vivo. Com ela duas acompanhantes, Maria e Raquel, jornalista e repórter de imagem da Sábado. É muito importante para nós este apoio e acompanhamento, pois decerto que a reportagem será um importante veículo de divulgação do nosso trabalho.

Abertura da feira, com alguma pompa associada, encontro com colegas e amigos de outros países, mas acima de tudo momento de relax para todos, pois a cozinha começa a preencher demais os nossos horários. Jantar alargado, já “em casa” com as nossas convidadas como novos membros da equipa. É assim que nós gostamos de estar e de fazer!

A noite vai ser longa, pois os empratamentos de tudo deverão ser feitos o mais perto possível do estar em exposição.

November 21, 2014

Diário de uma Competição | Dia 3. 20 de Novembro de 2014

DIA III – 20 de Novembro de 2014

equipas2

O dia de hoje continuou com o plano definido durante os treinos.

Mais compras, desta vez já a pensar na competição quente, dia 24. Pode parecer muita antecedência, mas o ditado “guarda que comer, não guardes que fazer” é palavra de ordem. São muitas as tarefas a cumprir e a extrema complexidade das técnicas exige que tudo seja feito com precisão e rigor, sem esquecer o gosto.

O Chef António Bóia, que esteve connosco até hoje, foi “entregue” no hotel onde o júri está alojado, pois ele fará parte da equipa que vai avaliar a competição.

No que toca a refeições alguns mimos são feitos: almoço de frango assado com batatinha frita, jantar com sopa de espinafres, bife grelhado e sobremesa de arroz doce, tudo para que se sintam bem! A noite vai ser longa, pois o capitão de equipa, Chef Paulo Pinto, estabeleceu que todas as peças devem ser cortadas e que os legumes devem ficar terminados.

A resposta da equipa é a melhor.

Na parte da pastelaria o Chef Carlos Gonçalves vai fazendo as suas peças, contando para tal com a preciosa colaboração do Chef Luís Gaspar. Mesmo os elementos mais novos da equipa, Chef Rui Fernandes e Pedro Monteiro, mostram grande empenho, e que o treinar, treinar, treinar é fundamental nesta altura.

Estar no Luxemburgo é quase estar a competir em Portugal, pois em todos os locais a língua portuguesa é ouvida, muito bom, faz sentir bem!

Amanhã, em conjunto com o Paulo Pinto e o António Bóia, teremos um dia inteiro de curso de júri WACS, essencial para manter a nossa qualidade de júri certificado WACS.

Ao final do dia teremos a abertura da EXPOGAST com a cerimónia de abertura, que culmina com o grandioso desfile das nações. Prometemos contar como foi.

equipas1 equipas3 equipas4 equipas5 equipas6 equipas7

November 19, 2014

Diário de uma Competição | Dia 2. 19 de Novembro de 2014

DIA II – 19 de Novembro de 2014

Começámos hoje por um pequeno-almoço “em família”, seguido da tarefa das compras para alguns dos elementos da comitiva.

A equipa foi para a cozinha e começou a ser executado o plano de trabalho pré-definido. O facto de conhecer o hotel e o staff é uma vantagem enorme, pois já conhecemos os cantos à casa e assim estamos só preocupados com as nossas tarefas, todas elas treinadas vezes sem conta ao longo dos últimos meses.

O almoço foi à portuguesa, no hotel, onde até o molho cervejeira serviu para “matar saudades”. E depois do almoço, a velocidade de cruzeiro começa a funcionar.

Fizemos pequenas compras, marcámos itinerários no GPS. Tudo a correr bem. Mais tarde, jantámos no hotel e continuámos as actividades do dia.

Hoje, as diferentes fases de preparação da mesa dos frios – ou seja, a exposição de vários pratos que arranca na madrugada do dia 22 – começaram a ganhar forma. O dia deverá acabar perto da meia-noite, pois por enquanto ainda é tempo de aproveitar para dormir.

equipas1 equipas2 equipas3 equipas4

November 19, 2014

Diário de uma Competição | Dia 1. 18 de Novembro de 2014

DIA I – 18 de Novembro de 2014

Este primeiro dia foi praticamente todo passado em viagem. Com encontro no Aeroporto Internacional de Lisboa às cinco da manhã, onde alguns fornecedores de produtos frescos tinham encontro marcado connosco, a equipa nacional teve tempo para fazer o check in quase de forma tranquila, não fosse um dos elementos da equipa ter adormecido e chegar… mesmo na partida do avião! Primeiro susto ultrapassado.

Chegados ao Luxemburgo, fomos levantar as carrinhas que utilizamos para as deslocações diárias e seguimos viagem até ao Hotel “ Roeserstuff” em Roeser, onde foi combinado o encontro com a carrinha portuguesa que trouxe todos os equipamentos e produtos. Este hotel é o mesmo onde ficámos em 2010, quando viemos participar nesta mesma competição. O hotel tem um fantástico staff, ou não fossem 75% portugueses!

Almoçámos de equipa num restaurante local, descarregámos a carrinha e arrumámos tudo nos frigoríficos e na cozinha. E a tarde está passada.

Com a chegada do Chef António Bóia, vindo de Paris, a comitiva estava completa.

Jantámos num restaurante, aproveitando para comemorar o facto de estarmos todos juntos de novo. E ainda conseguimos festejar o golo e a vitória da equipa nacional… de futebol! Bom presságio!

Dormir cedo, para recuperar algumas horas de sono e preparar os para os dias seguintes, que se esperam cheios de actividade.

November 19, 2014

Diário de uma Competição | Dia 0. 16 de Novembro de 2014

DIA 0 – 16 de Novembro 2014

Este dia zero, ainda em Portugal, foi o da tarefa mais “pesada”: colocar na carrinha todos os equipamentos, os produtos não perecíveis e algumas peças de pastelaria anteriormente feitas, para serem transportadas por terra até ao Luxemburgo. O dia serviu ainda para que os elementos da comitiva fizessem a entrega das suas malas. É que o peso de bagagem a que cada um tem direito no avião é necessário para o transporte dos produtos alimentares frescos, designadamente aqueles que não conseguimos encontrar no Luxemburgo.

Depois de algumas horas de trabalho, a carrinha ficou com a carga completa e pronta para seguir viagem.

November 19, 2014

Estamos de volta à competição. Agora no Luxemburgo.

Equipas

A equipa nacional de culinária está no Luxemburgo para a competição ExpoGast’14 – Culinary World Cup, que durante cinco dias reúne mais de 105 equipas. Há equipas nacionais, equipas júniores, equipas regionais e de de restauração colectiva). Estão representados os cinco continentes, através de cerca de mil cozinheiros e pasteleiros. O júri é composto por 55 chefes, entre os quais está o chef português António Bóia.

Portugal está representado pela equipa nacional (a equipa sénior) e estará em competição nos dias 22 de Novembro (exposição) e 24 de novembro (confecção).

A partir de hoje e até ao final dos dias de competição, publicaremos um diário da competição.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: