Archive for November, 2010

November 25, 2010

Ouro e prata para Portugal

As Equipas Olímpicas de Culinária regressam hoje do Luxemburgo e trazem para Portugal uma medalha de ouro e três medalhas de prata. É o resultado positivo do trabalho intenso dos últimos meses, juntando-se aos últimos 18 anos de preparação para participação em competições internacionais. Na última semana, o trabalho foi ainda mais intenso, preparando as duas provas de cada uma das equipas.

Na classificação geral, a nível mundial, a equipa júnior portuguesa ficou em terceiro lugar.

Advertisements
November 25, 2010

Prata para mesa de exposição júnior

A equipa júnior expôs ontem a mesa com um menu para exposição. Várias categorias de pratos e uma escultura em chocolate compuseram a mesa. A equipa ganhou uma medalha de prata pelo trabalho.

 

November 23, 2010

Prata para mesa de exposição

A equipa sénior teve ontem a prova do menu frio, uma mesa com várias categorias de pratos em exposição. A montagem da mesa arrancou às 6h da manhã de segunda-feira e às 8h apareceram os primeiros membros do júri para fazer a avaliação. Desde o início da preparação para a competição, a equipa sénior trabalhou detalhadamente todos os pratos para esta mesa. A gelatinagem é um dos passos importantes da preparação. É um processo através do qual todos os produtos apresentados são mergulhados em gelatina, para que se conservem durante o dia todo em exposição. A aparência de cada prato, a escolha dos produtos, cores e combinações, assim como a apresentação das técnicas perfeitamente executadas são elementos essenciais na avaliação do júri.

Portugal recebeu a segunda melhor qualificação, com uma medalha de prata, pela prova da mesa de exposição. Até ao fim da ExpoGast’2010 fica a faltar a confecção do menu quente, que decorrerá amanhã durante todo o dia.

November 22, 2010

Mesa para exposição: equipa sénior

November 22, 2010

Depois do ouro: a preparar a 2ª prova

This slideshow requires JavaScript.

November 22, 2010

Medalha de ouro para equipa júnior

Era a primeira vez que participaram numa competição e foi a primeira equipa júnior a trazer uma medalha de ouro nesta competição. A apresentação dos menus arrancou no sábado e das quatro equipas que já competiram, Portugal ficou à frente de Inglaterra e Alemanha, ambas com uma medalha de prata, assim como a equipa júnior da Índia, que recebeu apenas um diploma. O menu servido ontem a 60 pessoas, composto por entrada, prato e sobremesa, foi pensado nos últimos meses e treinado para corrigir todos os pormenores. Para além da qualidade do menu, é avaliada criteriosamente a forma como ele é preparado na cozinha. Inúmeras regras têm de ser cumpridas, sob avaliação permanente de um júri internacional que inspecciona e aponta cada passo dos cozinheiros. Receber a medalha de ouro é para os cozinheiros, principiantes da competição, uma vitória e recompensa pelos largos meses de trabalho intenso. Sob coordenação do Chef António Bóia, capitão da equipa, e o Chef Celestino Grave, capitão adjunto, o resultado da primeira prova das Equipas Olímpicas de Culinária na ExpoGast 2010 surge como maior motivação para seguir em pleno com as restantes provas até quarta-feira, dia 24 de Novembro.

 

 

November 22, 2010

A preparar os pratos para exposição

A equipa sénior vai expor amanhã a mesa com várias categorias de pratos. Esta é uma das provas das competições de culinária, através das quais se tenta dar a conhecer várias técnicas, realçando as cores, as formas, a organização e composição do prato. Todos os detalhes e pormenores desempenham um papel fundamental. E para que os pratos possam estar expostos um dia inteiro, é necessário fazê-los passar por um processo de gelatinagem. Cada uma das peças que compõem um prato, da maior à mais pequena, é mergulhada em gelatina. O processo tem regras  e a aparência final é também avaliada: não podem existir imperfeições ou bolhas. É uma das longas etapas que decorrem nas últimas horas antes da mesa poder ser montada. Tudo já vai colocado nos pratos, acomodados em caixas, até a espaço onde decorre a Feira. A montagem da mesa pode arrancar a partir das 6 horas da manhã de dia 22 (segunda) e, por isso, a noite anterior é passada em branco.

November 21, 2010

Menu português esgotou

This slideshow requires JavaScript.

Pela primeira vez, cinco dos seis membros da equipa júnior participaram numa competição. Foram nove horas e meia seguidas, numa cozinha, para preparar e servir 60 pessoas. A equipa júnior competiu ao mesmo tempo de outras equipas, como Inglaterra, Estados Unidos ou Malta.  Foram vendidas todas as senhas para o menu português, por €40 cada, e a partir das 18h o jantar começou a ser servido. Desde as 10h da manhã que a equipa júnior esteve na cozinha, sob orientação do Chef António Bóia, com apoio do Chef Celestino Grave.

A pressão de uma primeira competição, aliada ao trabalho permanente durante quase dez horas, resultou numa experiência marcante. O resultado da prova será conhecido amanhã.

 

November 20, 2010

E a vida faz-se na cozinha

O frenesim na cozinha é mais assustador para quem apenas observa. Movimentos mais ou menos coordenados, repetição exaustiva das mesmas técnicas, os mesmos procedimentos até conseguir que o produto desejado esteja perfeito.

Diferente da cozinha do dia-a-dia em casa e diferente até da cozinha de um restaurante ou hotel, competir no mundo da culinária passa para lá do simples sabor ou de uma boa apresentação. Existem regras muito concretas sobre como um prato deverá chegar ao cliente. A um cliente que, muito provavelmente, não saberá avaliar o corte da carne ou a combinação da guarnição. Mas competir com cerca de 45 equipas, vindas de 30 países, exige perfeição. E uma única técnica de culinária num prato pode levar horas para ser feita e, chegada ao fim, não estar perfeita.

Durante três dias, de manhã cedo até à manhã do dia seguinte, a vida fica-se pela cozinha. É preciso gostar muito desse frenesim, que exige organização num espaço partilhado por vários cozinheiros. Entre quatro paredes brancas, num ambiente por vezes quente, dezasseis cozinheiros cruzam-se apressadamente nas suas tarefas. Das arcas frigoríficas às bancadas. Partilha-se o espaço, mas partilham-se também ferramentas, utensílios e conselhos.

Desde corte de peças milimetricamente perfeitas, à escolha pormenorizada das melhores folhas de qualquer erva, até à limpeza de cogumelos, um por um, com um papel húmido. Passá-los por água seria estragar os cogumelos, portanto não chega sequer a ser opção.

Aceitar e ultrapassar os erros ou esquecimentos, repetir os passos até à exaustão e funcionar como equipa – por mais difícil que por vezes possa ser – é a rotina de uma semana inteira. Antes dessa semana, houve treinos durante meses, aproveitando todas as folgas dos trabalhos, já de si, intensos. Não existem férias, não existe remuneração para competir com outros países. Apenas existe um gosto incontrolável – para quem está de fora chega a ser difícil de perceber – pela profissão de cozinheiro. Um gosto que é aliado a um orgulho pessoal, muito pouco recompensado, por poder fazer parte da equipa que leva a cozinha portuguesa às competições.

November 20, 2010

Na véspera da competição

%d bloggers like this: