Na primeira linha de Chefs europeus

Portugal no International Taste & Quality Institute (iTQi)

É já pela quarta vez que os chefs portugueses se juntam ao painel europeu de chefs do iTQi, em Bruxelas, para testar a qualidade de centenas de produtos alimentares.

Fazer parte do júri europeu do iTQi (International Taste & Quality Institute) requer um conhecimento alargado da qualidade de vários tipos de produtos alimentares. Após o convite da iTQi, dirigido à ACPP (Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal), quatro chefs portugueses passaram a fazer parte do painel que junta profissionais de cozinha de 12 das mais prestigiadas instituições de culinária europeias e associações de sommeliers para provar e avaliar centenas de produtos. “Experimentar os produtos requer uma ‘educação’ de palato da qual nem todos
dispomos”, explica o chef Carlos Madeira, um dos elementos portugueses no júri, para além do Chef António Bóia, Chef Paulo Pinto e Chef Celestino Grave. O teste consiste em provar vários produtos alimentares, “dos mais variados tipos, desde óleos, molhos frios e quentes, snacks, chocolates, massas alimentícias, azeites”. Carlos Madeira explica que, sobre cada um desses produtos, é necessário expressar opinião sobre o aspecto, o sabor, o after-taste, a consistência, o formato e a adequabilidade, entre outros critérios. Após a prova, cada chef tem de elaborar um relatório rigoroso e
profissional, mas não comparativo. A escolha dos jurados é feita pelo iTQi, uma organização líder e independente, “formada por chefs e sommeliers, visando avaliar, prestigiar e promover a comida e a bebida de gosto superior em todo o mundo”, segundo descreve o iTQi. A considera que os membro do júri são seleccionados numa parceria exclusiva com prestigiadas associações de culinária e a Association de la Sommellerie Internationale.
Para além da ACPP, outras associações fazem parte do painel: Maîtres Cuisiniers of France et Belgium, Academy of Culinary Arts, Hellenic Chefs’ Association, Académie Culinaire of France, Verband der Köche Deutschlands, Jeunes Restaurateurs d’Europe, Federación de Asociaciones de Cocineros of Spain, Federerazione dei Cuochi Italiana,
Årets Kock of Sweden, Euro-Toques e a Association de la Sommellerie Internationale (ASI) são as restantes. O painel inclui profissionais que exerceram a profissão de cozinheiro não só na Europa, mas também no Japão, China, Tailândia, Austrália, América do Norte, Central e do Sul.
Tendo em conta os parâmetros da avaliação sensorial de um produto, o iTQi optou por uma abordagem que meça a intensidade do prazer durante a degustação. E a relevância destes testes verifica-se ao constatar que o comportamento dos consumidores mudou e que há uma maior preocupação em comprar alimentos que não só sejam seguros, mas
que tenham qualidade.
No fim do processo de avaliação, todas as pontuações dos vários critérios são compiladas por computador, determinando a pontuação final de cada produto. O iTQi elabora um relatório confidencial com um gráfico de avaliação sensorial especificando os diferentes critérios e um resumo dos comentários ou sugestões dos chefs.
Para Carlos Madeira, a participação dos chefs portugueses é extremamente importante. “É o local onde podemos opinar e influenciar o posicionamento de produtos no mercado. O facto de esta prova se desenrolar em Bruxelas e ter mais de 50 chefes envolvidos mostram o nível de exigência”, considera o chef português. “É um privilégio poder estar entre pares e sentir uma vez mais que Portugal está na primeira linha de Chefs europeus”.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: