Archive for January, 2012

January 21, 2012

“Esta é a competição da minha vida”

Era a última oportunidade para competir sozinho pelo título de Melhor Chef Júnior do mundo, no Hans Bueschkens Challenge. Celso Padeiro vai representar Portugal em Janeiro, na semifinal regional, na Eslovénia

Este é um concurso no qual Portugal já tem história: em 2006, foi João Simões quem ganhou o título mundial de melhor chef júnior. Dois anos mais tarde, Jorge Fernandes conseguia um terceiro lugar a nível mundial. Desta vez, e já em Janeiro de 2011, será Celso Padeiro a ter a responsabilidade de representar o país na competição que junta os melhores chefs juniores de todo o mundo.

Membro da equipa júnior desde 2009, Celso Padeiro compete sozinho pela primeira vez. ‘Vou conseguir fazer o que sempre sonhei’, diz. A idade limite para fazer parte das competições como cozinheiro júnior é 25 anos e, como o concurso só se realiza de dois em dois anos, na próxima edição Celso Padeiro já fará parte das equipas seniores. Conta ter falado ao capitão da equipa júnior, o chef António Bóia, na vontade que tinha em tentar competir sozinho, sendo esta a última oportunidade. Quando o chef aceitou, em Março de 2010, os treinos começaram.

Hoje está a pouco mais de um mês da competição, confessando sentir-se nervoso não tanto pela prova. ‘O que assusta é não saber, na altura, até que ponto os pratos serão suficientemente bons para vencer. Sobretudo porque durante a prova não se vêem os pratos das outras equipas’. A prova consiste na preparação de um menu com entrada vegetariana, prato e sobremesa para oito pessoas. Mas o menu será preparado com base num cesto surpresa, portanto não adianta levar nada definido. ‘É preferível treinar em termos de bases de cozinha e de pastelaria, assim como as estéticas de empratamento, para estar preparado para adaptar e ajustar aos produtos que forem dados’, explica.

No dia da prova, Celso Padeiro poderá pensar no menu com o chef António Bóia. ‘Temos de preparar as fichas técnicas e entregar ao júri. Depois tenho entre três a quatro horas para preparar sozinho o menu para as oito pessoas’. Nesta semi-final da Europa do Sul, cada concorrente preparará o menu para o mesmo número de pessoas, sendo que apenas o melhor classificado irá à final que decorre durante o Congresso Mundial da WACS, na Coreia do Sul, em Maio de 2012.

Para o concorrente português, as competições internacionais não são novidade, embora as próximas Olimpíadas de 2012 sejam as primeiras no seu curriculum. Celso Padeiro juntou-se à equipa júnior em 2009, depois de ter ficado em terceiro lugar no concurso Jovem Cozinheiro do Ano. Estagiou ainda um mês no El Celler de Can Roca, em Girona, do qual traz boas recordações e uma boa experiência. Celso passou ainda pela Bica do Sapato, antes de começar a trabalhar no Grande Real Villa Italia Hotel & Spa. Em 2009, foi commis de Carlos Gonçalves, na semi-final regional do Global Chefs Challenge, em Lisboa, do qual a dupla saiu vencedora. Uns meses mais tarde, foi à final do mesmo concurso no Chile. Já em Novembro de 2010, participou na competição no Luxemburgo, como parte da equipa júnior, que venceu a medalha de ouro na confecção de um menu no Restaurante das Nações.

A apostar inteiramente naquela que diz ser ‘a competição da sua vida’, Celso Padeiro tem agora pela frente mais umas semanas de treino até ao desafio de representar Portugal numa prova em que dependerá em grande parte de si mesmo.

Advertisements
January 21, 2012

Global Chefs Challenge arranca esta semana

Arranca esta semana a semi-final regional, da Europa do Sul, do Global Chefs Challenge, onde Portugal estará representado.

É no Global Chefs Challenge, entre os dias 26 e 29 de Janeiro de 2012, que as Equipas Olímpicas vão marcar presença. A final dos países concorrentes da Europa do Sul vai decorrer na cidade de Ljubljana, capital da Eslovénia. Nesta competição irá participar um membro da equipa olímpica sénior, Jorge Fernandes, e um membro da equipa júnior, João Cunha.

Como acontece em todas as competições internacionais, o menu é escolhido com antecedência, tendo em conta vários pormenores. Para esta final regional do concurso, é necessário preparar uma entrada, um prato e uma sobremesa, que serão confeccionados para oito pessoas. Ao contrário das apresentações de culinária noutras competições – como acontece na prova de exposição de mesa nas Olimpíadas de Culinária – a avaliação do júri nesta competição tem em conta a qualidade e o sabor dos pratos apresentados.

O chef Paulo Pinto, capitão da equipa sénior, explica que o menu foi escolhido ‘a pensar no gosto e técnicas do júri internacional, tendo em conta também os nossos produtos’. Levar um pouco da cultura gastronómica portuguesa, mesmo que seja através dos produtos utilizados, é uma das componentes interessantes de um concurso que junta vários países. Contudo, algumas características do gosto do júri são importantes a ter em conta na definição do menu. A maior ou menor intensidade de sabor é uma variável de grande relevância quando se discute a avaliação de um prato. Assim, a experiência adquirida junto do júri, em competições anteriores, ajuda na escolha dos sabores e conjugações.

Nos últimos meses, o trabalho começou pela definição dos produtos e dos pratos. Depois de vários treinos e testes, foram sendo acertados pormenores e foram feitas melhorias. Este é um processo demorado, para qual ter várias opiniões é muito importante. Desta forma, os concorrentes das equipas olímpicas, Jorge Fernandes e João Cunha, passaram a preparar o menu nas quantidades exactas para as oito pessoas, pedindo opiniões a diferentes convidados, sendo assim possível ter outra visão sobre o menu. Até Janeiro, resta treinar o menu até que tudo esteja perfeito.

O Global Chefs Challenge engloba várias semi-finais regionais, das quais sai um vencedor que representará a região na final do concurso, a realizar em Maio, na Coreia do Sul. Carlos Gonçalves e Celso Padeiro, membros das equipas, foram vencedores na semi-final regional da Europa do Sul, que se realizou em Lisboa em Abril de 2009.

Entrada
Lavagante recheado sobre nabo glaciado, creme de lavagante com crosta de massa e tataki de robalo com compota de tomate e puré de ervilha.

Prato
Lombo de veado com foiegras, timbale de curgete com estufado de bochecha de porco e borrego com crosta de salsa sobre pêra bêbeda

Sobremesa
Biscoito com geleia de frutos vermelhos merengado, parfait de chocolate com citrinos e sorbet de manga

%d bloggers like this: